Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

ptenfrites
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Estudantes do IFSP são finalistas da Feira Brasileira de Jovens Cientistas

Projetos dos câmpus Campinas, Guarulhos e Hortolândia estão na final; conheça e vote! 

  • Publicado: Quinta, 24 de Junho de 2021, 14h35
  • Última atualização em Terça, 29 de Junho de 2021, 17h40

Quatro projetos do IFSP estão entre os finalistas da Feira Brasileira de Jovens Cientistas (FBJC), a primeira feira científica e pré-universitária nacional totalmente virtual. O evento ocorre entre os dias 23 e 27 de junho e conta com palestras, workshops e uma maratona de inovação. O objetivo é estimular a produção científica no país desde cedo e possibilitar o desenvolvimento de uma rede de jovens cientistas brasileiros.  

Os projetos do IFSP que estão na final são dos câmpus Campinas (2), Guarulhos e Hortolândia. Os finalistas concorrem a vários prêmios e credenciais para eventos no Brasil e exterior. A fase final é por votação popular, realizada via likes do Facebook e vai até o dia 27, próximo domingo. Clique no nome do projeto para conhecer detalhes e votar.  

AMap - Acessibilidade em Mapa 

Projeto desenvolvido pelos estudantes Ana Clara Batista Loponi, João Vitor Aleixo Dias e Luiz Roberto da Cruz Santos, do 4º ano do curso Técnico Em Informática Integrado ao ensino médio, sob orientação do professor André Luis Bordignon e coorientação do Analista de TI Leonardo Rocco.  

O objetivo do projeto é o georreferenciamento dos comércios de Campinas e gerar uma classificação destes do ponto de vista de acessibilidade.  


Água na medida certa: Dosador automático para bebedouros 

Projeto desenvolvido pelos estudantes Maria Isabel Barbosa da Silva, Pedro Lucas Neves e Rebeca Braz Edwiges, estudantes do 4° ano do Curso Técnico Integrado em Eletrônica no Câmpus Campinas. O projeto é orientado pelo professor Edson Anício Duarte e coorientado pelo professor João Alexandre Bortoloti.  

O trabalho apresenta a automação de bebedouros de uso comum nos quais serão adaptados dosadores para volumes predefinidos. A ideia é evitar o desperdício de água e a contaminação pelo toque dos usuários.   

Energia Visual Emocional (E.V.E. - Versão 2.0) – Plataforma de acessibilidade comunicativa que utiliza reconhecimento facial e mensagens em áudio para inclusão de pessoas com deficiência visual ou cegueira 

Projeto desenvolvido pelos estudantes Thiago Pinto Martins, do 3º Ano do Curso Técnico Integrado em Informática para Internet e Nathalia Assunção das Chagas, recém-formada no mesmo urso do Câmpus Guarulhos. O professor Robson Ferreira Lopes e a professora Gema Galgani Rodrigues Bezerra são responsáveis pela orientação e coorientação, respectivamente, da pesquisa. 

O projeto Energia Visual Emocional (E.V.E. versão 2.0) visa contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas com deficiência visual ou cegueira, consolidando sua autonomia comunicativa. Para isso, desenvolveu um protótipo de software com uma biblioteca capaz de identificar as características de uma face e suas respectivas emoções por meio de uma imagem. 

 Análise qualitativa do ensino de língua inglesa pelos aplicativos Duolingo, Babbel e Memrise 

Projeto desenvolvido pela estudante Danielle dos Santos Chagas, do 3º ano do Curso Técnico Integrado em Mecânica do Câmpus Hortolândia, sob orientação da professora Stefanie Fernanda Pistoni Della Rosa. 

A pesquisa busca analisar plataformas online de ensino de línguas, neste caso, o inglês, baseando-se em teorias de ensino-aprendizagem de línguas.

 

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página