Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

ptenfrites
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Alunos de curso técnico escrevem capítulo de livro  

Objetivo dos estudantes é discutir a importância de abordar a sexualidade no contexto escolar  

  • Publicado: Sexta, 28 de Maio de 2021, 13h12
  • Última atualização em Sexta, 28 de Maio de 2021, 14h56

Glauber Carvalho da Silva e Letícia da Silva Paz, alunos dos cursos Técnicos em Informática e em Edificações integrados ao ensino médio do Câmpus Votuporanga, respectivamente, tiveram sua pesquisa sobre a sexualidade na educação publicada, no mês de maio, no livro “Educação: minorias, práticas e inclusão 2”.   

Com tema “A substancialidade da sexualidade na Educação: impactos na saúde mental e transgressão da LGBTfobia”, o capítulo fala sobre a sexualidade no contexto escolar considerando a filosofia, a pedagogia e a psicologia, “permitindo a reflexão sobre a importância de se trabalhar a sexualidade no contexto escolar”, explica Glauber. Segundo os alunos, o texto ajuda os docentes a compreenderem a importância de estarem preparados para abordarem esse assunto em sala de aula. “Para os pais também é uma oportunidade de perceber a relevância de manter um diálogo aberto com os seus filhos acerca da sexualidade, tendo em mente que falar dela não é função única da escola”, acrescenta.  

Os estudantes apontam ainda a relevância dos estudos para o público em geral no “combate ao negacionismo sobre a substancialidade de se colocar no ambiente escolar essa temática, propondo um novo entendimento da realidade e uma chamada para que se juntem na luta por uma sociedade cada vez mais compreensível e abrangente com a comunidade LGBT”.  

Glauber destaca que sua passagem pelo IFSP lhe despertou muitos interesses além do estudo das disciplinas formais. “O IFSP fornece um crescimento pessoal, nos torna mais humanos, trazendo sempre assuntos que se referem à inclusão e à diversidade. Vejo o IFSP como um agente promotor de mudanças na nossa sociedade, pois motiva a nos identificarmos com causas sociais e, portanto, faz com que os discentes sejam mais empáticos e críticos”, relata.   

Medalhista da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) e de competições regionais, Glauber aponta como sua maior inspiração hoje o projeto “Ensino de Biologia para surdos: elaboração de material didático numa perspectiva de inclusão escolar”, coordenado pela professora Anna Isabel Nassar Bautista Saraiva no Câmpus Votuporanga, do qual faz parte. “É muito satisfatório poder ajudar milhares de pessoas a terem uma educação de qualidade por meio de materiais de estudo elaborado por nós, principalmente porque sonho em ser professor e já estou tendo a oportunidade de desenvolver um projeto acadêmico diferenciado e de extrema importância” revela.   

Letícia da Silva Paz também relata que o ambiente respeitoso e agregador que o câmpus do IFSP proporciona a fez enxergar as dinâmicas sociais a partir de uma nova perspectiva. “Em outra escola, eu presenciava crianças sendo reprimidas e acabei naturalizando a situação. No Instituto Federal, me deparei com o respeito entre os alunos e servidores, independentemente das características físicas e da sexualidade de cada um. Hoje eu sei como agir quando me deparo com situações de discriminação”, enfatiza.  

Assim como Glauber, Letícia realiza outras atividades dentro do Câmpus Votuporanga, entre as quais ela destaca as aulas de Espanhol e Libras e a participação em um projeto de extensão na área de Literatura Brasileira, no qual é analisado o discurso jornalístico como modo de silenciamento e apagamento da identidade dos grupos marginalizados. “Tudo isso me alerta para questões e eventos que antes nem imaginava que existissem. Me faz entender muito mais sobre o país em que vivo e me incentiva a me dedicar o máximo para, junto com outras pessoas, tornar esse mundo um lugar mais justo. Com toda a certeza, o IFSP oferece oportunidades que vão muito além da vida acadêmica, o ambiente estimula o pensamento crítico, a preocupação com nossa sociedade”, finaliza. 

Leia o capítulo na íntegra aqui.

Acesse o livro aqui.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página