Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

IFSP recebe projeto de educação antirracista

Um projeto submetido por servidores do IFSP foi aprovado pelo Edital Equidade Racial na Educação Básica: pesquisas aplicadas e artigos científicos.

  • Publicado: Terça, 06 de Outubro de 2020, 14h41
  • Última atualização em Sexta, 09 de Outubro de 2020, 12h26

O objetivo é promover uma ação educativa orientada à reeducação das relações étnico-raciais e de gênero em todos os câmpus da Instituição. 

O “Projeto AFROIF — currículo, pensamento decolonial e formação docente”, elaborado por um grupo de servidores do IFSP e coordenado pela pedagoga e coordenadora do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (Neabi), Caroline Jango, é um dos 15, entre os 605 submetidos em todo o Brasil, aprovados pelo Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (CEERT), iniciativa do Itaú Social em parceria com o Instituto Unibanco, a Fundação Tide Setuba, e a Unicef. 

O projeto visa desenvolver uma análise diagnóstica das práticas pedagógicas dos professores do IFSP que atuam na educação básica técnica dos 36 câmpus a fim de levantar dificuldades, limitações, experiências relevantes e potencialidades que tais profissionais possuem para promover uma ação educativa orientada à reeducação das relações étnico-raciais e de gênero e para desenvolver uma proposta pedagógica com perspectiva na história e cultura africana, afro-brasileira e indígena. 

Dividido em duas etapas, o estudo aplicará um questionário aos 3.300 docentes do IFSP e, posteriormente, desenvolverá processos formativos inovadores com os professores, a partir dos resultados do diagnóstico, por meio de espaços permanentes de escuta, trocas de experiências e saberes decoloniais e com a criação de núcleos de produção de materiais didáticos e de referência que apoiem a ação educativa nas diversas áreas do conhecimento com perspectiva nas africanidades. Os materiais ficarão disponíveis para consulta pública.

Com a investigação proposta pelo projeto, uma parceria entre o  Neabi e o Núcleo de Estudos Sobre Gênero e Sexualidade do IFSP (Nugs), espera-se oferecer ações que viabilizem a consolidação dos conhecimentos afrocentrados que estão sendo pautados na construção dos Currículos de Referência da Educação Básica do IFSP (CRs). As ações visam ainda ao atendimento das Leis 10.639/03 e 11.645/08, que alteraram a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional para incluir a obrigatoriedade das temáticas História e Cultura Afro-Brasileira e História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena, respectivamente, nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio. 

Caroline Jango aponta que estudos atuais sobre a implementação das leis citadas destacam que a formação continuada de professores afeta diretamente na consolidação de uma educação antirracista, no entanto, o investimento na formação dos profissionais da educação tem sido insuficiente. O projeto receberá R$ 150 mil para a pesquisa aplicada. “Assim, essa pesquisa além de possibilitar um diagnóstico sobre a nossa Instituição, viabilizará ações concretas de formação teórica e prática, com aquisição de recursos, para a inserção efetiva da história e cultura africana, afro-brasileira e indígena no nosso currículo e prática pedagógica”. 

A coordenadora comemora a aprovação do projeto e prevê um grande impacto social e educacional sobre o maior Instituto Federal do Brasil. "Também vejo como um reconhecimento que o trabalho que temos realizado, a partir dos núcleos, ao longo desses anos em várias frentes de atuação, tem frutificado”, finaliza.

O planejamento e a organização da execução do projeto tiveram início no dia 1º de outubro. O edital prevê que o projeto seja executado até 1º de abril de 2022. 

Saiba mais em https://editalequidaderacial.ceert.org.br/#sel.

registrado em:
Fim do conteúdo da página