Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

IFSP realiza aula inaugural do curso subsequente em Agroecologia

O curso é oferecido pelo IFSP em parceria com a Sempreviva Organização Feminista (SOF) 

  • Publicado: Sexta, 03 de Dezembro de 2021, 18h34
  • Última atualização em Segunda, 06 de Dezembro de 2021, 23h03

O IFSP realizou, no dia 1º de dezembro, a aula inaugural do curso técnico em subsequente em Agroecologia.  Estiveram presentes no Câmpus Boituva representantes da Sempreviva Organização Feminista (SOF), que é parceira na oferta do curso, e os pró-reitores de Ensino e Extensão do IFSP, Carlos Procópio e Gabriela Arduíno. 

O curso reúne estudantes de diferentes regiões do Estado de São Paulo, principalmente do Vale do Ribeira. A sede é o Câmpus de Boituva, que tem experiência na realização de cursos de qualificação profissional para mulheres em agroecologia. 

De forma inédita, o curso está sendo ofertado prioritariamente para mulheres, seguindo-se os preceitos da Educação do Campo e da Pedagogia da Alternância.  De acordo com Sheyla Saori, agrônoma da SOF, das 30 vagas ofertadas, 22 foram preenchidas por mulheres, e o público atende aos requisitos do curso, de serem assentados da reforma agraria, quilombolas, indígenas, acampados e da agricultura urbana.  “Já sentimos que os estudantes têm a expectativa do diploma técnico, de aperfeiçoar as práticas que já trazem de suas comunidades e continuarem contribuindo desde o lugar que estão”, contou Sheyla. 

A aluna Janete Dantas é integrante do grupo de mulheres União de Agricultoras Agroecológicas de Itaoca (Uaai). O grupo realiza trabalhos de incentivo à produção no campo, valorização da mulher do campo, e uma rede de alimentação saudável (unindo campo e cidade), na qual se oferece acessibilidade a produtos orgânicos, frescos e com preço acessível.  

Ela conta que resolveu fazer o curso buscando conhecimentos que possam ajudá-la a mudar e melhorar questões sociais, ambientais e até mesmo econômicas dentro do seu território e da sociedade.

“Decidi fazer esse curso porque a agroecologia vive em mim, aliás ela sempre esteve em mim, na minha família e na minha casa. Pretendo continuar com esse trabalho agroecológico na minha propriedade, contribuir com as relações ambientais e de geração de renda da minha família. Decidi fazer esse curso porque quero ter sucesso com o nosso grupo e porque eu quero ter a minha profissão, tirar o sustento da minha própria produção”, afirmou Janete. 

A construção da proposta referente à oferta do curso teve início em 2019, quando a SOF buscou o IFSP para construir um projeto conjunto em resposta ao convite realizado pelo Fundo Newton do Conselho Britânico. Essa parceria resultou na aprovação do projeto “Fortalecimento das mulheres rurais, seus agroecossistemas e redes para construir alternativas à pobreza e à vulnerabilidade no Brasil”, o que permitiu a construção do Curso Técnico em Agroecologia.   

A elaboração do projeto pedagógico do curso (PPC) foi realizada de forma conjunta entre técnicas da SOF, servidoras das pró-reitorias de Ensino e Extensão, professoras e professores dos câmpus Boituva, Campinas, Jacareí, Matão, Registro e São Roque. Contou também com a participação de representantes das organizações britânicas Christian Aid e do Centro de Agroecologia da Universidade de Coventry.  

 

Notícias relacionadas 

IFSP aprova o primeiro curso técnico na área da Agroecologia 

Inscrições abertas para curso subsequente de Agroecologia 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página