Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Meu câmpus tem: Clube de Leitura Felicidade Clandestina 

Projeto desenvolvido no Câmpus Hortolândia promove encontros quinzenais de forma virtual 

  • Publicado: Segunda, 16 de Agosto de 2021, 10h16
  • Última atualização em Segunda, 23 de Agosto de 2021, 14h11

O Câmpus Hortolândia tem o Projeto de Extensão: Clube de Leitura Felicidade Clandestina. Em encontros virtuais, os participantes discutem contos da literatura mundial. A ação é aberta a todos os interessados.  

Carina Zanelato Silva, professora de Língua Portuguesa, de Literatura e coordenadora do projeto, conta que o clube nasceu para incentivar a leitura entre os participantes. “Muitos alunos relatavam que não gostavam de ler porque a literatura era muito difícil, chata e eles não tinham tempo para se dedicar à leitura. Diante disso, resolvi criar um projeto que tivesse como propósito apresentar aos alunos textos que desmistificassem essa visão de literatura, além de proporcionar a eles um espaço para falar sobre literatura de maneira mais descontraída”, conta.  

O projeto teve início no mês de maio. Desde então, foram trabalhados os seguintes contos: "Felicidade clandestina", de Clarice Lispector; "Devoradores de narrativas", de Duda Falcão; "Funes, o memorioso", de Jorge Luis Borges; "O passeio das meninas mortas", de Anna Seghers; "A causa secreta" e "A cartomante", de Machado de Assis; "O gato preto e Coração delator", de Edgar Allan Poe; "À deriva", de Horacio Quiroga; "O afogado mais bonito do mundo", de Gabriel García Márquez; "Casa tomada", de Julio Cortázar, e "As formigas", de Lygia Fagundes Telles. A docente explica que busca a diversidade dos contos, por isso pesquisou escritores do Brasil, da Alemanha, dos EUA, da Argentina, do Uruguai, da Nigéria, de Moçambique etc.  

Encontro virtual do clube

 

Além da bolsista do projeto e aluna do curso Técnico em Automação Industrial Integrado ao Ensino Médio, Nicoly de Campos, os encontros já chegaram a contar com 25 participantes. O maior desafio da coordenadora da ação é despertar o gosto pela leitura. “Como são textos curtos, os contos possuem histórias muito interessantes, que prendem a atenção do leitor e fazem reflexões que despertam o nosso olhar para inúmeros aspectos da vida. Além disso, as diferentes nacionalidades dos escritores auxiliam o leitor a ampliar o seu ponto de vista sobre o mundo, fazendo-o refletir sobre diferenças culturais, sociais etc”, relata.   

Durante os encontros, os participantes expõem as leituras que fizeram das obras por meio do microfone ou pelo chat da plataforma. “É muito interessante que todos se sintam bastante à vontade para falar sobre os textos, sendo um espaço de discussão da literatura de forma descontraída e divertida”, conta Carina.  

O clube já ganhou frequentadores assíduos, os quais descobriram, na leitura, um mundo novo. “Alunos e participantes externos têm me enviado mensagens sobre como os encontros têm ajudado na mudança de perspectiva sobre a literatura. Há alguns que relataram não imaginar que a literatura pudesse ser tão interessante como forma de entretenimento”, comemora a professora.  

Os encontros quinzenais seguem até dezembro, sempre às quintas-feiras, às 15h30. Todos os interessados, tanto a comunidade interna quanto a externa ao IFSP, estão convidados. Para participar, os interessados devem acessar a nossa página no Instagram (@cdlifsphto) e preencher o formulário de inscrição. É por meio dessas inscrições que são enviados os links de acesso aos encontros.  

O projeto acontece até o mês de dezembro. Durante o período, serão discutidos contos de Kate Chopin,  Chimamanda Ngozi Adichie, Mia Couto, Hermann Hesse, Rubem Fonseca, Clarice Lispector e de muitos outros escritores.  

Nas redes sociais (Instagram e Facebook: @cdlifsphto), também são divulgadas as chamadas para o clube e as informações sobre os autores dos contos. 

Como enviar um vídeo para o programa “O que é que meu câmpus tem?”

Os alunos interessados em contribuir com o programa podem enviar seus próprios vídeos com duração de, no máximo, um minuto e meio, que devem ser gravados com uma filmadora ou a câmera do celular. Quando se usa o celular, a gravação deve ser feita com o aparelho na horizontal, usando a câmera traseira ou frontal (modo selfie). Os vídeos gravados com enquadramento vertical não poderão ser considerados.
As pessoas que irão apresentar o projeto devem estar bem próximas à câmera, para que fiquem audíveis. Procure lugares mais reservados, sem a interferência de sons externos (vento, som do evento, barulhos do ambiente). Ilumine bem a cena, grave a favor da luz. Não utilize o zoom digital, pois prejudica a qualidade do vídeo.

Após gravar o vídeo, faça o upload do material bruto (sem a inserção de legendas, trilha sonora e imagens sobrepostas) e de arquivos (fotos ou outras informações) referentes ao projeto na nuvem e envie o link com as informações do projeto, nome completo, curso e câmpus para o e-mail .

Para o upload do vídeo, você pode escolher a armazenagem da sua preferência. Indicamos, como sugestão, o SendSpace (https://www.sendspace.com), o Dropbox (https://www.dropbox.com/pt_BR/) e o Google Drive (https://drive.google.com).

Lembre-se de que o material deve ser enviado sem edição.

Em caso de dúvidas, contate a Assessoria de Comunicação pelo e-mail  .

registrado em:
Fim do conteúdo da página