Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

ptenfrites
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Meu Câmpus tem: Projeto Dioba

Iniciativa promove o diálogo intercultural online entre estudantes brasileiros e argentinos 

  • Publicado: Quinta, 17 de Junho de 2021, 11h25
  • Última atualização em Sexta, 18 de Junho de 2021, 11h12

 O Dioba (Diálogo Intercultural Online entre Brasil e Argentina), é um projeto institucional realizado pelo Câmpus Capivari do IFSP em parceria com o Instituto Secundário El Principito — Saint Exupéry, de Concórdia, localizada na província de Entre Rios, Argentina. A iniciativa tem como objetivo promover a interação entre alunos das disciplinas de Espanhol do Ensino Médio Integrado e estudantes argentinos que cursam disciplinas de Português como língua estrangeira em sua instituição, em um processo colaborativo de ensino e aprendizagem dessas línguas. 

O projeto é coordenado pela professora de língua espanhola Fernanda Tonelli, do IFSP, e pelos professores de língua portuguesa Julio Gallardo, Valeria Arce e Emilio Pérez, do Instituto Secundário El Principito. 

Da esquerda para a direita: Fernanda Tonelli, Emilio Pérez, Julio Gallardo, Valeria Arce, Rosalía Bonnot e Mauricio Corradini

De acordo com Fernanda, o Dioba contará com diferentes atividades ao longo do ano letivo de 2021, e a primeira delas foi um encontro síncrono, realizado no dia 13 de maio. Nesse primeiro encontro, os alunos dos cursos técnicos de Química e Informática Integrados ao ensino médio do Câmpus Capivari e estudantes argentinos puderam compartilhar um pouco sobre suas vidas, seus hobbies e informações sobre suas cidades e rotina escolar, além de praticar a língua estrangeira e auxiliar os colegas em relação à aprendizagem da nova língua. 

Ao final do primeiro encontro síncrono, foi realizada uma atividade em que os estudantes deveriam indicar uma palavra que sintetizasse o encontro e o projeto. "As palavras mais recorrentes foram interessante, divertido, cultura, o que nos mostra o resultado satisfatório do projeto", disse Fernanda.

Para a estudante Yasmin Samantha da Silva, que cursa o 2º ano do Técnico Integrado em Química no Câmpus Capivari, o projeto Dioba tem sido uma experiência incrível. “Estou aprendendo muito sobre a cultura e curiosidades da Argentina. Tenho de confessar que quando algumas aulas duram mais de uma hora fico irritada, mas esse projeto poderia durar a tarde toda que eu nunca reclamaria”, brincou. 

Camili Callegari, colega de turma de Yasmin, contou que em pouco mais de dois meses conseguiu melhorar muito a sua produção oral e escrita em língua espanhola. “O contato com falantes de espanhol ajudou a minha pronúncia, pois os ouvindo falar eu pude aprender novas palavras, novos sotaques e entender que, assim como aqui no Brasil, eles têm formas diferentes de falar.” 

Já Sthefany Lorrany , aluna do curso Técnico Integrado em Química, acredita que o projeto Dioba tem proporcionado, tanto aos alunos brasileiros quanto aos argentinos, momentos de interação social e de amor, apesar de todas as limitações e de todos os problemas enfrentados com a pandemia. “Essa interação, mesmo que digital, com pessoas que possuem uma cultura totalmente diferente, nos faz entender mais sobre a importância da vida, pois todos temos as mesmas inseguranças, os mesmos medos, independentemente da parte do mundo em que vivemos”, contou. 

Fernanda Tonelli explica que os integrantes do projeto utilizam a plataforma SLACK, que possibilita troca de mensagens e materiais (vídeos, trabalhos). “Nessa plataforma, eles fizeram uma primeira apresentação escrita e trocaram sugestões de músicas”, contou. Segundo ela, o contexto das aulas remotas contribuiu para o desenvolvimento do projeto, visto que todas as atividades, como fóruns de discussão, trabalhos em grupos, chat aberto para partilha de informações e encontros síncronos, são realizadas online.

De acordo com a professora, a previsão é que haja encontros síncronos a cada bimestre, além da realização de interações pela plataforma Slack, com atividades conjuntas direcionadas como elaboração de vídeos, trabalhos de pesquisa em grupos — com estudantes dos dois países — e outras atividades a partir de temáticas pré-estabelecidas coletivamente. 

Interação online entre professores e estudantes brasileiros e argentinos do projeto Dioba

 Como enviar um vídeo para o programa “O que é que meu câmpus tem?”

Os alunos interessados em contribuir com o programa podem enviar seus próprios vídeos com duração de, no máximo, um minuto e meio, que devem ser gravados com uma filmadora ou a câmera do celular. Quando se usa o celular, a gravação deve ser feita com o aparelho na horizontal, usando a câmera traseira ou frontal (modo selfie). Os vídeos gravados com enquadramento vertical não poderão ser considerados.
As pessoas que irão apresentar o projeto devem estar bem próximas à câmera, para que fiquem audíveis. Procure lugares mais reservados, sem a interferência de sons externos (vento, som do evento, barulhos do ambiente). Ilumine bem a cena, grave a favor da luz. Não utilize o zoom digital, pois prejudica a qualidade do vídeo.

Após gravar o vídeo, faça o upload do material bruto (sem a inserção de legendas, trilha sonora e imagens sobrepostas) e de arquivos (fotos ou outras informações) referentes ao projeto na nuvem e envie o link com as informações do projeto, nome completo, curso e câmpus para o e-mail .

Para o upload do vídeo, você pode escolher a armazenagem da sua preferência. Indicamos, como sugestão, o SendSpace (https://www.sendspace.com), o Dropbox (https://www.dropbox.com/pt_BR/) e o Google Drive (https://drive.google.com).

Lembre-se de que o material deve ser enviado sem edição.

Em caso de dúvidas, contate a Assessoria de Comunicação pelo e-mail  .

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página