Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Ex-aluno > Últimas notícias > Pesquisa de aluna é destaque em programa nacional 
Início do conteúdo da página

Pesquisa de aluna é destaque em programa nacional 

Aluna do Câmpus Avaré estuda transformar larva em biofilme 

  • Publicado: Quarta, 05 de Maio de 2021, 12h19
  • Última atualização em Quarta, 05 de Maio de 2021, 14h18

A pesquisa com tenébrios realizada pela aluna Júlia Porfirio, do Câmpus Avaré, virou destaque do programa Globo Rural, transmitido pela TV Globo, no último domingo. A larva, que hoje possui grande valor comercial, será transformada em um plástico filme pela estudante.  

Imagem: TV Globo

 

Desde o início do curso de Engenharia de Biossistemas, Júlia pensava em apresentar como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) uma pesquisa sobre a produção de um biofilme. Pesquisando sobre possíveis fontes, descobri que a quitosana derivada da quitina de crustáceos é muito utilizada, porém, não sabia onde encontrar esse material na minha região”, relata. 

A orientadora Marcela Pavan Bagagli sugeriu, então, a extração da quitina do exoesqueleto de insetos, pesquisa já iniciada por elas anteriormente e pouco explorada no mundo acadêmico. Foi assim que Júlia conheceu o tenébrio e todo o seu potencial. Quando começou seus estudos, descobriu que União Europeia havia aprovado o uso da larva para produção de alimentos. “O uso da farinha de tenébrio como ingrediente para a indústria de alimentos também desperta o interesse em pesquisas de aplicação dessa larva”, acrescenta a docente. 

Imagem: TV Globo

 

Júlia descreve que a coleta do exoesqueleto do tenébrio é realizada durante as mudas: “essa casca liberada não acompanha o animal e pode acabar se tornando um resíduo.  O tenébrio pode trocar o exoesqueleto até 15 vezes durante essa fase do ciclo de vida”. Marcela aponta que a exúvia (a casquinha liberada pelo tenébrio) pode ser convertida em um subproduto, com valor agregado. O trabalho da Júlia é uma das opções de utilização dessas casquinhas, abrindo possibilidades para a indústria que utiliza quitina e quitosa”, enfatiza. 

O objetivo final da pesquisa é desenvolver um biofilme e, atualmente, aluna e orientadora buscam a melhor forma de extrair a quitina do tenébrio. No seu trabalho de conclusão de curso, Júlia apresentará a avaliação desse processo de extração e, posteriormente, continuará com a pesquisa até chegar ao biofilme, que se degrada mais rapidamente do que o plástico convencional. 

Mas as experiências com o tenébrio no Câmpus Avaré não devem restringir-se ao laboratório de Engenharia de Biossistemas. O coordenador do curso de Gastronomia do câmpus, revela a professora Marcela, já demonstrou interesse em trabalhar no desenvolvimento de técnicas que aumentam a aceitação do consumo da larva em alimentos.  

Globo Rural 

A pesquisa da Júlia ficou nacionalmente conhecida no último domingo (2), quando foi divulgada no programa Globo Rural, da TV Globo, durante uma reportagem especial sobre o tenébrio“Após a entrevista, pessoas de diferentes lugares me procuraram para parabenizar e dizer que tinham gostado da entrevista, sem dúvidas aumentou minha responsabilidade sobre a pesquisa!”, comemora. 

Para a aluna, o incentivo que recebe no IFSP é fundamental para o sucesso da pesquisa. “Tenho professores fantásticos que me apresentaram o caminho da pesquisa científica”, conclui.  

A reportagem está disponível em https://globoplay.globo.com/v/9481870/. A entrevista da estudante tem início aos 1040”.  

registrado em:
Fim do conteúdo da página